Entrevista com o jornalista e apresentador Giulianno Cartaxo!

O jornalista Giulianno Cartaxo tem 37 anos. É natural de João Pessoa, na Paraíba. Chegou a Brasília em 2001, para passar apenas três dias, mas apaixonou-se pela cidade e acabou ficando por aqui. Em 2006, entrou para o time da Rede Record de Televisão e participou diretamente das mudanças que colocaram a emissora na briga pela liderança da audiência na capital federal. Desde 2009, está no comando do DF no Ar, jornal matutino da emissora, com as principais notícias do dia, e tudo sobre o trânsito de Brasília.

Giulianno é um apaixonado por esportes! Já praticou capoeira, jiu-jitsu, luta livre, entre outros. Mas, foi nas corridas de rua que ele encontrou a motivação para mudar de vida!

 

blog_grifina_entrevista_giulianoAo lado da esposa (Andrea) e do filho (Miguel)

 

div

 

Giulianno, acompanhamos o seu trabalho como jornalista e apresentador. Quando e como começou seu trabalho na TV?

Primeiro, quero agradecer todo o carinho da equipe do blog Grifina e dizer que também acompanho o trabalho de vocês na internet! Estão de parabéns!

Sou de uma família paraibana diretamente ligada ao jornalismo! Meu pai (Valter Cartaxo) apresentou, por mais de 20 anos, o revista Tabajara. Um dos jornais mais importantes do rádio paraibano. Minha mãe (Lúcia Rolim) foi uma das primeiras mulheres do país a cobrir futebol, ainda nos anos 70, e se destacar em um espaço que, até hoje, ainda é dominado pelos homens.

Confesso que tentei seguir outras carreiras. Sou técnico em agroindústria (quase ninguém sabe disso!) e tentei prestar vestibular para Engenharia de Alimentos e até Direito! Mas, meu caminho já estava traçado! Em 1998, ainda na minha Paraíba, fui bater na porta da Record (TV Correio) e pedir emprego. Havia acabado de ingressar na UFPB, no curso de Comunicação Social. Não sabia absolutamente nada de telejornalismo! Mesmo assim, fui lá! Me perguntaram o que eu entendia de TV e eu disse a verdade: “Sei ligar e desligar!” Lá se vão quase 16 anos de um verdadeiro caso de amor!

 

Apesar de a sua rotina de trabalho ser intensa, você encontra tempo para se exercitar e cuidar da saúde!  Quando decidiu mudar seus hábitos em busca do equilíbrio?

E põe intensa nisso! O meu jornal vai ao ar às 7h15, mas o meu dia começa bem mais cedo. Levanto às 2h50, e antes das 4h já estou trabalhando. O DF no Ar é todo fechado pela manhã. Uma rotina completamente diferente da grande maioria. Nessa brincadeira, acabei descuidando completamente do corpo! Tenho 1,70 de altura e cheguei a pesar 86 kg, entrando na faixa de obesidade e colocando em risco minha saúde! Colesterol em 240, glicose alterada, ácido único estourado, e por aí vai! Um candidato forte a um ataque cardíaco!

Minha esposa sempre me incentivou a praticar esportes. A Andrea foi campeã brasileira master de natação. Sempre foi “rata de treinos”! E eu, “rato de redação”! Chegava a pagar um ano de academia e aparecia uma vez por mês.

Tudo mudou quando descobri que estávamos grávidos! Tinha 35 anos e, no ritmo que ia, talvez não completasse 40! Um belo dia, parei para pensar que poderia não aproveitar a adolescência do meu filho! Passei uma semana sem dormir! Foi horrível!

 

image-1Antes (junho de 2012) e depois (fevereiro de 2014)

 

Meu sogro foi meu exemplo para mudar de vida! Ele já passou dos 50 anos e tem um filho com 16 – a mesma diferença que eu e meu primeiro filho teremos nessa idade. Ele participa de tudo na vida do meu cunhado! É um verdadeiro parceiro! O pai que quero ser para os meus filhos!

Ele é corredor de rua e me apresentou as pistas!

Comecei aos poucos! Na esteira! 1km, 2 Kms, 3kms… Até participar da minha primeira prova de 5 quilômetros! Me descobri e me apaixonei pelas corridas! Tanto, que comemorei o nascimento do meu filho, em janeiro de 2013, disputando minha primeira Corrida de Reis (18 horas depois do parto).

Hoje, já tenho quatro meia-maratonas no currículo e estou me preparando para o maior desafio de todos! Quero correr a Two Oceans. Uma prova de 56 quilômetros, que acontece na Cidade do Cabo, na África do Sul. A largada acontece no Oceano Índico e termina no Oceano Atlântico. Dizem que é um dos percursos mais maravilhosos do mundo! Mas, esse é um projeto para 2016, apenas.

 

Em sua rede social instagram, são frequentes as fotos de suas participações em corridas de rua. Observou mudanças na sua saúde após a prática da corrida?

Nesses dois anos e meio, minha vida mudou completamente! Desde a alimentação, rotina de treinos, estilo de vida! Tudo mudou!

Já eliminei 15kg! Ou, como costumo brincar: tirei três sacos de arroz das costas! Todas as minhas taxas estão dentro dos limites saudáveis. Meu percentual de gordura caiu para 17%. Ainda não é o ideal, mas sou muito disciplinado e sei que vou chegar ao meu objetivo!

Hoje, tenho muito mais disposição para trabalhar e, principalmente, me dedicar a minha esposa e meu filho!

 

image-2Prova de revezamento 100 km da caixa (maio/2014)

 

Quais os seus cuidados com a alimentação? E como encaixa os exercícios físicos em seu dia a dia?

Desde que decidi mudar de vida, conto com o apoio de uma equipe maravilhoso! Primeiro, a Andrea (minha esposa, que não me deixa desanimar). Um bom nutricionista faz toda a diferença! O meu, virou um grande amigo! Bruno Rua, além de ser um dos mais capacitados do mercado do DF, também é atleta. Ele é fisiculturista. Sabe – exatamente – como é importante cuidar do corpo.

Já minha preparação física fica a cargo do meu personal, João Oliveira. Outro atleta! A rotina inclui 1h ½ de musculação, pelo menos quatro vezes por semana, com treinos específicos para os diferentes grupos musculares.  Além da preparação para as provas, que varia de acordo com o calendário de corridas e as distâncias que vou disputar.

Geralmente, treino logo depois do trabalho. A Record fica ao lado do Parque da Cidade. Pouca gente sabe, mas, ao lado do Quiosque do Atleta tem um vestiário com armários de ferro, chuveiros aquecidos, tudo sempre limpinho e bem cuidado. Para usar, basta levar um documento de identidade e seu próprio cadeado. Depois da corrida, sigo direto para a academia. Depois, vou para casa, cuidar dos meus tesouros!

 

Quais as dicas do Giulianno Cartaxo para quem não encontra tempo para cuidar de si mesmo, e conciliar família, trabalho, atividades físicas, alimentação equilibrada?!

A primeira dica é “querer mudar”! Você tem de ter um objetivo, uma motivação! O meusão meus filhos e minha esposa! Quero estar bem para eles! Consequentemente, todo o resto também será feito com mais disposição.

Escolha algo que você goste! Eu amo corridas e musculação! Não é sacrifício. Pelo contrário! Conto as horas para tirar o terno e calçar meu tênis! Mas, você pode se encontrar nas lutas, na dança, na yoga!

Só não pode esquecer de procurar um médico antes de se jogar nos treinos. Uma passada no cardiologista pode ser a diferença entre uma vida saudável e uma parada cardíaca!

E aquela máxima continua valendo: “Você é, o que você come!”

 

imageCorrida do sol (janeiro/2014)

 

div

Blog: noticias.r7.com/blogs/giulianno-cartaxo/

instagram: @giuliannocartaxo

“Correndo Melhor” – texto do Personal Trainer Guilherme Henrique

foto 3Vanessa Vasconcelos participando de corridas de rua após ter sido treinada pela equipe Estação Ativa

“A corrida de rua está em alta em todo o país. Diversas pessoas estão praticando a modalidade e participando de provas, como atletas amadores, sempre em busca de melhorias em seu desempenho.

Porém, muita gente vem correndo sem orientação e o resultado é um grande número de pessoas se lesionando por conta da modalidade, além de diversas outras que não conseguem melhorar seu rendimento.

Hoje vamos nos concentrar nos casos de pessoas que treinam, treinam e não evoluem nunca, ou evoluem a passos lentos.

O que acontece é que devido à falta de orientação, as pessoas não seguem um treinamento sistematizado e individualizado. Simplesmente saem correndo por aí e quando começam a sentir que está mais fácil (percepção subjetiva de esforço), aumentam a distância percorrida. Dessa forma aumenta-se sempre o volume, o que, consequentemente, irá reduzir a intensidade.

Emil Zatopek foi um dos atletas pioneiros na utilização de treinos intervalados de alta intensidade. Talvez por isso tenha conseguido feitos tão surpreendentes, como vencer em uma mesma Olimpíada (1952) as provas de 5000m, 10000m e a maratona.

Posteriormente, estudos clássicos publicados por Tabata. et al (1996 e 1997), Billat ( 2001a e 2001b), entre outros, mostraram a importância de realizar treinos intervalados de alta intensidade para melhorar não apenas o VO2 máximo, mas também aumentar o limiar anaeróbio e otimizar a oxidação de gordura.

Quem deseja participar de corridas de fundo precisa sim fazer trabalhos com um volume maior de treino – não dá pra negar – mas não se deve aumentar esse volume demasiadamente, nem a qualquer momento, muito menos fazer treinos volumosos em todas as sessões. Por isso procure sempre um profissional de Educação Física para orientá-lo e prescrever seu programa de treinamento, buscando, assim, otimizar seus resultados e sua segurança para evitar lesões – tema do nosso próximo texto – o que nos deixaria afastados dos treinos, nos distanciaria dos nossos objetivos e, ainda, afetaria diretamente nossa saúde.”

Guilherme Henrique Nascentes – Personal Trainer

CREF 9552 G/DF

ghnascentes@gmail.com / (61) 9232-9994