Cuidados com os cabelos das crianças no período escolar!

O ambiente escolar é um dos locais mais comuns para ocorrer a transmissão de piolhos entre as crianças. Com a volta às salas de aulas, os pais se preocupam para que os pequenos não sejam acometidos pelo pequeno inseto, que causa muita coceira e pontos vermelhos na nuca. A proliferação do piolho se dá pelo contato pessoal e mais raramente pelo compartilhamento de chapéus ou escovas de cabelo contaminadas.

criancas

O médico dermatologista Luciano Morgado diz que o aparecimento dos piolhos pode ser percebido através das lêndeas (pontos brancos) aderidas nas hastes dos fios de cabelo. “Em alguns casos pode ocorrer infecção secundária na pele, resultando na formação de crostas amareladas, podendo haver febre”, orienta o especialista.

 

Para o tratamento do piolho são utilizadas algumas substâncias para minimizar a proliferação do inseto, todas elas devem ser acompanhadas por um dermatologista para que se obtenha o melhor resultado. A higienização do couro cabeludo se faz necessária, assim como o uso de soluções escabicidas, como a permetrina a 5%, benzoato de benzila a 25%, monossulfiram a 25% (diluído em 3 litros de água) e deltametrina.

 

“Tais soluções são aplicadas em um dia, repetindo-se a aplicação após uma semana. Em casos mais resistentes pode ser utilizado o medicamento Ivermectina por via oral. É importante também retirar as lêndeas (ovos do inseto), uma vez que o escabicida não as mata”, explica Luciano. Diluir o vinagre na mesma quantidade de água e passar pente fino nos cabelos auxilia na extração. Estas substâncias ajudam na remoção mecânica mas não matam o piolho ou a lêndea.

 

A roupa de cama deve ser trocada diariamente, lavada e depois passada a ferro. Os pentes usados devem ser  lavados e desinfetados com álcool.

 

Transmissão do piolho

– Piolho não pula.
– Piolho não voa.
– Piolho não é sinal de falta de higiene.
– Piolho não consegue infectar seu animal de estimação.

Corpo Clínico

Dra. Ana Regina Franchi Trávolo – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da InternationalAssociationofAesthetic Medicine; graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP e fellow em Dermatologia e Laser pelo Hospital Ramon Cajal, na Espanha.

Dr. Luciano Ferreira Morgado – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da InternationalAssociationofAesthetic Medicine; pós-graduado em Cirurgia Dermatológica, Laser e Dermatologia Estética pela FM-ABC São Paulo; graduado em Medicina pela UnB e mestre em Terapia Fotodinâmica com Nanotecnologia pela Universidade de Brasília.

 

Serviço:

Monte Parnaso – Cuidados à flor da pele

Centro Médico Júlio Adnet, SEPS 709/909, Bloco A, Clínica 9, 1° subsolo.

Contato: (61) 3263-0833 / 3263-0834

www.monteparnaso.com.br

Siga também os perfis nas redes sociais

Cuidados com a pele devem ser redobrados nesta época!

O nosso país é tipicamente tropical, com suas belas praias e sol intenso, ninguém quer abrir mão desses benefícios. Portanto, para poder aproveitar da melhor forma, é necessário se atentar às recomendações para a proteção da pele da ação do sol.

A utilização do protetor solar com proteção de pelos menos fator 30 é essencial para as pessoas. Vários tipos de câncer de pele podem surgir caso não ocorra o cuidado adequado, são eles: carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o melanoma. Já os linfomas são um tipo de câncer que também podem afetar a pele sem ter relação causal com a exposição solar.

A médica dermatologista da Clínica Monte Parnaso, Ana Regina Trávolo, explica que os linfomas são cânceres que normalmente se manifestam nos gânglios linfáticos e sistema imunológico. Há casos também que podem afetar a pele, como a micose fungoide (tipo de linfoma cutâneo). “Formam-se as manchas avermelhadas persistentes na região do tronco, que aos poucos vão aumentando de espessura. Em situações mais avançadas, formam-se nódulos infiltrados, com característica avermelhada e podem gerar febre no paciente”, detalha.

Identificado precocemente, os tratamentos podem ser mais eficientes e gerar resultados mais rápidos. A fototerapia ou o banho de elétrons (radioterapia) são indicados nessa situação. Para os casos mais evoluídos, pode haver a necessidade da quimioterapia. “O tratamento dos principais tipos de câncer de pele, como o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma é normalmente cirúrgico, todavia, existe uma alternativa interessante para as ceratoses actínicas, que são as chamadas lesões pré-cancerosas e alguns tipos de carcinomas basocelulares superficiais, a terapia fotodinâmica”, esclarece a dermatologista.

A Dra. Ana Regina conta que as vantagens são significativas no resultado estético com o tratamento, além de tratar áreas nas quais as lesões ainda não estão visíveis a olho nu, o chamado campo de cancerização. “A terapia fotodinâmica consiste na aplicação de um medicamento em toda a região a ser tratada, agindo sob oclusão, por aproximadamente 3 horas. Logo em seguida, o médico dermatologista irradia a região com um equipamento de LED específico, que ativa a medicação, produzindo uma reação fotoquímica que leva à destruição das ceratoses actínicas no campo de tratamento. Em alguns casos, a técnica precisa de uma segunda aplicação, após 4 semanas”, completa a médica.

 

Corpo Clínico

Dra. Ana Regina Franchi Trávolo – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da InternationalAssociationofAesthetic Medicine; graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP e fellow em Dermatologia e Laser pelo Hospital Ramon Cajal, na Espanha.

Dr. Luciano Ferreira Morgado – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da InternationalAssociationofAesthetic Medicine; pós-graduado em Cirurgia Dermatológica, Laser e Dermatologia Estética pela FM-ABC São Paulo; graduado em Medicina pela UnB e mestre em Terapia Fotodinâmica com Nanotecnologia pela Universidade de Brasília.

div

Serviço:

Monte Parnaso – Cuidados à flor da pele

Centro Médico Júlio Adnet, SEPS 709/909, Bloco A, Clínica 9, 1° subsolo.

Contato: (61) 3263-0833 / 3263-0834

www.monteparnaso.com.br

Siga também os perfis nas redes sociais.

natal

Rabanada Light: receita da nutricionista Nathalya Costa!

toponat

   4

As festas de final de ano estão aí. É momento de pensar em como foi o ano que passou, quais são seus planos para 2016, celebrar, confraternizar e…. comer, comer, muitaaas coisas gostosas. Entre elas, a tradicional e deliciosa rabanada.

Para quem possui alguma restrição e não quer deixar de comer essa sobremesa deliciosa e típica do Natal, vai uma receitinha light de rabanada assada.

Na versão tradicional (frita), o pão absorve muita gordura, além de também levar leite condensando (rico em gordura e açúcar). Com isso, 1 porção tem cerca de 300 calorias. A rabanada preparada conforme a receita abaixo tem apenas 130.

div

Ingredientes

– 4 pães francês ou a mesma quantidade de pão para rabanada vendido em padarias (o de rabanada é muito melhor);

– 500 ml de leite desnatado;

– 1 col. de sopa de açúcar mascavo (para os diabéticos, adoçante forno e fogão);

– 3 ovos batidos;

– 1 colher de sopa de óleo de canola

– Canela e pouco açúcar para polvilhar (para os diabéticos, adoçante forno e fogão).

 

Modo de preparo

1 – Corte os pães em fatias médias.

2 – Mergulhe as fatias de pão no leite misturado com açúcar mascavo (deixe molhar bem) e depois nos ovos batidos.

3 – Coloque os pães numa assadeira antiaderente untada com óleo e leve ao forno pré- aquecido a 200º. Deixe dourar por cerca de 50 min., mas vire as fatias após 25 min. para dourar dos 2 lados.

4 – Ao retirar do forno, polvilhe com canela e açúcar.

 

123 4