Dicas de viagem: África do Sul por Luana Barros

Dicas de Viagem para a África do Sul

            Sempre fui apaixonada por bichos e desde criança tive a oportunidade de ter contato com vários desde cachorros e cavalos a araras, bicho-preguiça, e onças. Quando tinha uns quatro anos pedi para minha mãe um leão de estimação, mas ela não me deu, hehe. Essa vontade de estar com felinos de grande porte continuou. Comecei a planejar uma temporada de trabalho voluntário na África do Sul, mas em março de 2013 surgiu outra oportunidade. Uma prima que estava acompanhando seu marido que trabalhava em Moçambique me convidou para fazermos um passeio pela África do Sul. Fomos de Johannesburgo (Johannesburg) com destino a Maputo, Moçambique de carro.

África do Sul

Clima: Temperado

            O clima varia entre uma pequena zona de clima mediterrânico, no extremo sul, na região do Cabo, até desértico a noroeste.

Temperaturas Mínimas e Máximas por Meses em Johannesburgo

africa1

(Fonte: http://www.weather-and-climate.com/)

Precipitação por Meses em Johannesburgo

africa2

(Fonte: http://www.weather-and-climate.com/)

É interessante verificar as temperaturas e precipitações em outras cidades de interesse porque podem ser bem diferentes das de Johannesburgo. Indico o site da fonte das figuras.

Moeda: Rand. Um real equivale a aproximadamente 4,5 rands.

Idioma: Africanêr, Inglês (com um sotaque peculiar), Zulu e outros dialetos.

Capitais: Pretória (capital executiva), Cidade do Cabo (capital legislativa), Bloemfontein (capital judicial).

Horário: Horário de Brasília + 5 horas (sem levar em consideração o horário de verão).

Passagens aéreas: A companhia aérea responsável pelos voos Brasil-África do Sul é a South African Airways. Os voos partem do Aeroporto de Guarulhos(SP) e as passagens com destino a Johannesburgo custam aproximadamente R$2.136,00 ida e volta.

Visto: O país não exige visto de brasileiros.

Tomadas: Tipo M

Voltagem: 220v.

Johannesburgo

            Joanesburgo ou Johannesburgo é a maior cidade da África do Sul. É também um pouco perigosa assim como a nossa São Paulo e por isso temos que tomar alguns cuidados ao andar nas ruas ou pegar táxi por exemplo.

Hotel

            Fiquei hospedada no Garden Court Sandton City cujas diárias custam aproximadamente R$125,00 por pessoa. Gostei muito do hotel, os quartos são bem limpos, novos, tem tv, cofre, mesinhas, banheira, um ótimo chuveiro, colchões confortáveis e tomadas adaptadas além de cafeteira, e chás no quarto. Não tem frigobar, mas em nenhum hotel que fiquei por lá tinha. O café da manhã é bem variado, delicioso. O hotel tem piscina e academia, que nem usei.  A localização é excelente (ao lado do Mandela Square) e os funcionários são muito atenciosos.

Mandela Square

             Essa praça, além de ser um ponto turístico tem vários restaurantes e um shopping.

africa 3

Moyo, Melrose Arch

            O Melrose Arch é uma área com praça, lojas, restaurantes e cafés. O Moyo é um restaurante de comidas típicas excelente. Adorei a comida, o ambiente e o atendimento. Tem uma moça que faz pinturas africanas no rosto também. As portas dos banheiros são esculpidas (foto), hehehe. Comi chamuças de queijo como entrada (dá até água na boca só de lembrar) e carne de veado (springbok) com frango e purê de batatas como prato principal. Super recomendo esse restaurante. Minha prima comeu uma espécie de sopa com azeitonas, não sei se é bom porque não gosto de azeitonas. O preço também é ótimo, acho que a conta deu uns R$50,00 por pessoa, no máximo.

africa4

Shopping Montecasino

            É um shopping de entretenimento que simula uma vila italiana. O teto é pintado como se fosse um céu de dia em um lado do shopping e a noite no outro lado. Tem lojas de souvenirs, joalherias, restaurantes e um cassino. As refeições são até mais baratas e a variedade de opções é alta. É tudo bem decorado e muito criativo.

africa5

Lion Park

http://www.lion-park.com

africa6

Fizemos o Alex Larent Exclusive Tour por R$170,00 por pessoa, que inclui passeio guiado com o Alex por grupos de leões, contato com filhotes e girafa. O Alex é domador, alimenta os leões e interage com eles. Pra mim ele é louco, mas nos ensinou muito. Fomos a vários grupos de leões, que ficam soltos. Só não descemos do caminhão porque algumas fêmeas estavam no cio.

africa7

O guepardo, que fica em outra área, entrou no caminhão. Foi um susto porque não esperávamos, mas também uma experiência inesquecível. Interagimos com ele enquanto era alimentado pelo Alex. Fiquei encantada porque sempre quis fazer isso. Levei até uma lambida no braço e na perna, dói, é uma esfoliação natural. Achei até que tinha chegado a minha hora, kkk.

Os filhotes de leão não são tão pequenos como eu pensava. São fortes, sapecas e um pouco brutos. Não dá pra vacilar. Ficamos apenas 10 minutos com eles.

africa8

A girafa é temperamental, fomos à tarde e ela não estava com muita fome. Mesmo assim brincamos com ela e a alimentamos. A comida é à parte, custa uns R$7,00 o pacote.

No parque tem duas lojas de souvenirs e um restaurante. Em uma dessas lojas a vendedora cantou Michel Teló para nós depois que perguntou se éramos brasileiras, além de imitar nossa forma de andar.

Fomos à tarde, mas recomendo irem pela manhã porque os bichos estão mais descansados e dispostos, principalmente os filhotes.

            Tem também o self drive por R$40 por pessoa que inclui passeio pelo parque no carro próprio, entrar na jaula dos leões filhotes, tocar neles e alimentar as girafas. Mantenham as janelas do carro fechadas. Alguns leões sabem distinguir um vidro aberto de um fechado e atacam. Já ocorreram vários acidentes por conta disso porque os leões ficam soltos e as pessoas são imprudentes. Apesar de sempre verem humanos e conviverem com alguns, esses leões não perdem o instinto selvagem, já mataram pessoas que entraram indevidamente no parque e até tratadores desatentos.

            Recomendo o passeio com o Alex que apesar de ser bem mais caro é muito melhor. Chegamos bem mais perto dos leões adultos, aprendemos muito sobre o comportamento deles, interagimos com os gruepardos, além de termos visto o Alex brincando com eles. É simplesmente inesquecível!

Apartheid Museum

            Esse museu é bem triste, ao entrar recebemos um cartão aleatório que diz se somos brancos ou não-brancos e sentimos o essa distinção do apartheid na pele. O museu conta a história do apartheid através de vídeos, peças, textos, documentos antigos e representação de lugares como a sela em que Mandela ficou. Vale a pena conhecer.

africa9

            Tem também o Soweto que, na minha opinião, para virar favela(como as nossas) tem que piorar muito, o Soccer City, e a Casa do Mandela.

div

Pilgrim’s Rest

            É uma cidade turística bem pequena. Foi fundada com o objetivo de explorar ouro nas proximidades. Hoje é mantida como era em 1873. É uma cidade museu muito fofa.

 africa10

.           Ficamos hospedadas no Royal Hotal, cuja diária custa aproximadamente R$99,00. Não tem internet nem adaptadores de tomada, mesmo assim acho uma experiência interessante e inusitada. O hotel também é um museu. Não tem chuveiro convencional, mas uma banheira no quarto. Achei ruim tomar banho nela, molhei o chão todo, mas valeu a experiência. O restaurante do hotel é ótimo. É a luz de velas e os cozinheiros fizeram uma apresentação, são cantores. O dono do hotel não gostou muito porque foi surpresa.

africa 11

            O bar é um caso a parte, tem cédulas de moedas de várias partes do mundo coladas em todas as paredes, no teto e até no ventilador. Cada visitante deixa a sua. Tudo fecha cedo. O Bar fechava 22h, se não me engano. Chegamos 21:30 e os garçons estavam quase dormindo.

africa12

            A cidade vive do turismo e com uns 15 reais podemos visitar todos os museus. Tem o dos automóveis, o banco, casas de pessoas, loja museu (mantida como era em 1873), mina. Até o cemitério é bonito. Ah, tem o posto de gasolina(antigo) e uma cafeteria deliciosa.

africa13

Canions

            Próximo a Graskop tem vários cânions. Visitei o Pothole, God’s Window( não consegui ver por causa da neblina) e, pra mim, o mais bonito de todos, Tree Rondavels. Em todos tem lojinhas de artesanato e é tudo bem barato. Pode pedir desconto que eles dão. Quando veem que somos estrangeiros sobem o preço, mas dão desconto quando dizemos que não levaremos.

            As entradas pros cânions custam cerca de R$10,00.

africa14

            Esse é God’s Window, que não consegui ver.

africa 15

            O almoço em Graskop custa uns R$30,00 ou menos no restaurante de comida portuguesa e moçambicana Canimambo.

africa 16

div

Hazyview

Hotel

            Em Hazyview ficamos hospedados no Hotel Numbi & Garden Suites por aproximadamente R$133,00 a diária. O hotel tem uma localização excelente, próximo ao shopping, aos locais turísticos, restaurantes e a uma das entradas para o Krueger National Park. O restaurante do hotel é excelente, o café da manhã, delicioso. Oferecem adaptadores de tomada e internet grátis, mas só na área da recepção (o sinal não chega aos quartos).

            O lugar é bonito, mas antigo, com muito carpete. Também não gostei muito da limpeza dos quartos e banheiros. Como a região é muito úmida e o hotel, com muitos jardins, a noite aparecem muitos sapos e pererecas, inclusive alguns nos corredores. Tivemos que colocar toalhas em baixo das portas do quarto, que tem saída pro jardim.  A rua fica lotada, tem que tomar cuidado para não pisar. Os residentes nem ligam, mas é engraçado ver os turistas pulando de medo. Ainda bem que não tenho esse problema, kkk. Não sei se é um problema do bairro ou da cidade toda. Se tivesse que voltar procuraria outro hotel.

            A cidade oferece várias opções de lazer e aventuras como rafting e aluguéis de quadriciclos.

Museu dos Répteis

            Na cidade visitamos o museu de répteis, com espécies do mundo inteiro, como crocodilos, serpentes, sapos, tartarugas e lagartos. Confesso que as cobras me deixaram arrepiada, principalmente as najas. Não sou muito fã desses animais. Credo! Não lembro o valor do ingresso, mas acredito que tenha sido menos de R$30,00.

africa 17

Elephant Whisperer

            Tem também dois locais para interação com elefantes. O Santuário dos Elefantes que possui 2 elefantes e o Elephant Whisperer, que possui 6. Fui no segundo, mas minha prima que visitou os dois gostou mais do Santuário. Eu amei! Fiz a interação com passeio por R$205,00. É caro! Há outras opções mais baratas, como a interação que custa cerca de R$123,00. Nesse site há mais informações. http://www.seasonsinafrica.com/adventure-activities-in-south-africa/lowveld-activities/elephant-whispers/elephant-activities/

africa18

            Interagi com três elefantes (Medwa, Tembo e Shamwari) e andei em um (Shamwari).Fiquei encantada, cada um tem a sua personalidade, mas são todos muito inteligentes. Conhecem todos da equipe de trabalho pelo nome. O Shamwari é um brincalhão e o Tembo um gentleman de 29 anos e 6 toneladas. Me entregou um boné obedecendo ao comando que me instruíram a dar. Eles são treinados pelo sistema de recompensas, para cada acerto recebem alimentos. São muito bem tratados. O dono do local disse: “Nossa, ele gostou de você”, se referindo ao Tembo (não, ele não fala isso pra todo mundo). Também gostei muito desse gigante. Acho que os animais sentem a admiração que temos por eles. Espero revê-lo um dia!

africa19

Krueger National Park: 55

            A caminho de Moçambique entramos no Krueger National Park e fizemos 10h de safari. O parque é do tamanho da Bélgica e é muito bem estruturado e sinalizado. Há hotéis, restaurantes, lojas e passeios guiados. A entrada custa cerca de R$55,00 por pessoa. O carro é revistado na entrada e saída do parque. É proibido entrar com bebidas alcóolicas, caçar e alimentar os animais. Como fizemos umas comprinhas em Hazyview, tivemos que esconder bem as bebidas que levamos para Maputo. Às vezes eles pedem até para abrirem as malas.

africa20

            Não vi todos os animais que gostaria. É difícil ver os felinos, mas vi zebras, guinus, veados e muitos veados, várias girafas, elefantes, búfalos, hipopótamos, javalis e macacos, nas pistas principais e nas secundárias. No restaurante tem um mapa onde os turistas identificam o turno, locais e animais que viram.

            É bem cansativo e exige muita observação. Muitas vezes nos enganamos, víamos algo se mexer e era apenas mais um veado, hehe.

Dicas: Ter muita, mas muita paciência, não deixar os vidros do carro abertos, não descer do carro, não se aproximar demais dos animais. Eles são selvagens e estão em seu ambiente.

Espero que tenham gostado!

Beijos! Luana Barros!

  2Comentários

  1. Luciana   •  

    Adorei sua visita à África e mais ainda saber que vc curtiu nosso passeio. Bjo

  2. Blog GriFina   •     Autor

    Ficamos felizes por ter curtido nosso post, Luciana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *