Como preparar a pele para o verão?

cuidados-com-a-pele-no-verao-630x354

A estação mais aguardada do ano deve ser aproveitada da melhor forma. Para isso, é necessário redobrar os cuidados com a exposição solar, senão, os dias de diversão podem trazer danos graves à pele. O planejamento para preparar a pele deve ser iniciado pelo menos 30 dias antes, com o uso de antioxidantes (fotoprotetores orais) como o licopeno, caroteno, Polypodium leucotomos e vitamina E, que diminuem os efeitos deletérios do sol sobre a pele.

O Dr. Luciano Morgado, médico dermatologista, explica que os cosméticos à base de ácidos devem ser suspensos pelo menos 2 semanas antes, uma vez que estes produtos deixam a pele mais sensível ao sol, facilitando a ocorrência de queimaduras e manchas. A mesma recomendação é para quem esteja fazendo algum tratamento estético, como peeling ou laser. O tratamento deve ser concluído com um mês de antecedência, uma vez que pegar sol com a pele ainda se regenerando aumenta o risco de manchas. “O uso do protetor solar, hidratantes e a ingestão de líquidos deve ser regular durante todo o período de exposição solar”, salienta o médico.

 Ainda de acordo com o médico, para se aproveitar melhor dos benefícios do sol, é importante evitar a exposição durante os períodos de maior incidência de radiação ultravioleta, entre às 10h da manhã e 16h da tarde, pois essa exposição aumenta a incidência de câncer de pele. “Além disso, quando em exposição solar, não se deve manipular produtos com limão, como sucos, caipirinhas ou a própria fruta. O limão em contato com a pele exposta ao sol pode provocar queimaduras e manchas, a chamada fitofotodermatose”, explica.

O filtro solar com fator de proteção 30 ou superior deve ser usado regularmente, ao menos 3x ao dia. Caso a pessoa esteja diretamente exposta ao sol e em contato com a água, o filtro deve ser reaplicado ainda com mais frequência, praticamente de hora em hora.

 A hidratação da pele é fundamental, uma vez que o sol provoca o ressecamento da mesma. O hidratante deve ser usado diariamente, sempre após o banho e principalmente após a exposição solar. “A ingestão de água durante a exposição solar é fundamental, para evitar a desidratação do corpo e também da pele”, orienta Morgado.

 O dermatologista da Clínica Monte Parnaso diz que a pele negra tem menor risco de queimaduras solares, devido a possuir maior quantidade de melanina, mas mesmo assim deve-se fazer o uso do filtro solar da mesma forma.  O cuidado com os pequenos também deve ser considerado. As crianças devem usar o protetor solar, já os fotoprotetores orais não são indicados para as crianças. “Existem vários filtros solares infantis, com ativos mais adaptados à pele das crianças, com menor risco de alergia e boa capacidade de hidratação”, completa Luciano.

Corpo Clínico

Dra. Ana Regina Franchi Trávolo – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da International Association of Aesthetic Medicine; graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP e fellow em Dermatologia e Laser pelo Hospital Ramon Cajal, na Espanha.

Dr. Luciano Ferreira Morgado – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da International Association of Aesthetic Medicine; pós-graduado em Cirurgia Dermatológica, Laser e Dermatologia Estética pela FM-ABC São Paulo; graduado em Medicina pela UnB e mestre em Terapia Fotodinâmica com Nanotecnologia pela Universidade de Brasília.

 div

Serviço:

Monte Parnaso – Cuidados à flor da pele

Centro Médico Júlio Adnet, SEPS 709/909, Bloco A, Clínica 9, 1° subsolo.

Contato: (61) 3263-0833 / 3263-0834

www.monteparnaso.com.br

Siga também os perfis nas redes sociais.

Villa Carioca traz gastronomia carioca a Águas Claras!

Com o desejo de expandir os negócios da família, um casal de empresários cariocas decidiram acrescentar um lugar incrível ao roteiro de experiências gastronômicas em Brasília.
Aberto há quatro anos, na quadra 301 em Águas Claras, o bar e restaurante Villa Carioca se destaca pela qualidade no atendimento, decoração temática e ampla variedade de opções em seu cardápio, que serve desde a tradicional comida de boteco à refeições completas para toda a família. Sob o comando dos proprietários que resolveram trazer um pouco da cidade maravilhosa para terras candangas, o lugar se tornou um sucesso encontro de encontro conhecido entre os públicos das mais distintas faixas etárias.
Funcionando de domingo a domingo, o bar inspirado nos bares do Rio de Janeiro carrega em sua decoração uma releitura do calçadão de Copacabana, placas das mais conhecidas e visitadas ruas do Rio, o samba na música e na alma de todos que trabalham e frequentam o Villa.
Os carros chefes da casa são a carne de sol, a picanha na brasa, servidas como petisco e também como refeição, agradam desde o grupo de amigos que resolveram se encontrar à família que escolheu como destino do almoço de domingo. Aos finais de semana acontece a tradicional feijoada, que virou tradição do estabelecimento, conquistando paladares até de bairros mais distantes. Não podemos nos esquecer das cervejas que vão para as mesas sempre estupidamente geladas, os drinks pensados nos gostos dos frequentadores assíduos do bar, a sardinha feira inspirada nos botecos do Rio, o cupim assado por oito horas e a cordialidade no atendimento pós-venda, que são os diferenciais da casa.
O Villa Carioca é um sucesso e nós não podemos questionar o motivo do mesmo, a cada nova visita uma nova surpresa, e surpresa boa! Inovando sempre no cardápio, melhorando cada vez mais a qualidade no atendimento e fazendo melhorias no estabelecimento, fica difícil escolher um outro lugar. O bar e restaurante é realmente um pedaço do Rio de Janeiro em Águas Claras e um daqueles lugares que não dá vontade de sair nunca.

Confira os cliques da inauguração da casa!WhatsApp Image 2017-12-03 at 19.09.22 WhatsApp Image 2017-12-03 at 19.09.14 WhatsApp Image 2017-12-03 at 19.09.11 WhatsApp Image 2017-12-03 at 19.08.41 WhatsApp Image 2017-12-03 at 19.08.29

Dezembro é o mês de conscientização do câncer de pele. Saiba quais são os tipos

A informação é fundamental para que as pessoas tomem conhecimento e observem cada vez mais possíveis pintas que surgem na pele e se desenvolvem. Ao notar essa anormalidade, é fundamental procurar um médico dermatologista para avaliar o caso clínico.

O mapeamento corporal é um dos exames mais eficazes para identificar o câncer de pele, com ele pode se diagnosticar precocemente e tendo maior possibilidade de cura. Ele identifica por meio de fotografias macro (corporais) e microscópicas das lesões mais importantes. O médico dermatologista da Clínica Monte Parnaso, Luciano Morgado, destaca os principais pontos comuns entre os tipos de câncer de pele.

Carcinoma basocelular

•      Câncer de pele mais frequente – 65% dos tumores de pele em pessoas acima de 40 anos.

•      Incidência tem aumentado entre as pessoas de pele clara. Risco estimado de 30 por cento de desenvolver um ao longo da vida.

•      Baixa mortalidade  – 0,05 a 0,08/100.000

•      Idade média acima de 60 anos

Fatores de Risco

•      Radiação ultravioleta – exposição solar

•      Queimaduras intermitentes e na infância aumentam o risco

•      Raro em negros – 99% dos casos em pessoas brancas

•      História familiar positiva – aumento do risco em 2,2 x

•      Paciente que já teve um CBC – 10 x mais chance. Risco de ter outro em 3 anos – 44%

Pode surgir sobre nevus sebáceos no couro cabeludo.

Manifestações clínicas.

•      Pequenas pápulas (carocinhos) que sangram com facilidade

•       Coloração avermelhada ou perlácea

•      Presença de vasinhos na superfície

•      Podem ulcerar e eventualmente apresentarem pigmentação – CBC pigmentado

•      Feridinha que não cicatriza

O tratamento é cirúrgico.

Carcinoma espinocelular

•      Segundo Câncer de pele mais comum

•      Corresponde a cerca de 20 % dos tumores de pele

•      Um pouco mais frequente em homens 2:1

•      97% surgem de lesões pré-cancerosas, as chamadas ceratoses actínicas.

•      Podem ocorrer metástases em 5% dos casos

Fatores de risco

•      Exposição crônica à radiação ultravioleta – efeito cumulativo.

•      Pode surgir em úlceras e cicatrizes

•      Exposição a radiação ionizante

•      Contato com arsênico, hidrocarbonetos

•      Fatores Gentéticos – Xeroderma pigmentoso, albinismo

•      Infecção por HPV- câncer da região genital- colo de útero, pênis

Manifestações Clínicas

•      Pápulas ou placas avermelhadas e com crostas

•      Lesões elevadas e avermelhadas, com fácil sangramento, nos lábios

•      Pápulas novas em úlceras ou áreas de queimaduras

•      Áreas ulceradas ou vegetantes

•      Ceratoses actínicas – pequenas áreas de pele áspera e avermelhada nos antebraços, dorso de mãos e face. As ceratoses actínicas são consideradas lesões pré-cancerosas para o câncer de pele do tipo espinocelular.

O tratamento também é cirúrgico.

Melanoma

•      4% do tumores de pele

•      Mais perigoso

•      Maior incidência de metástase e óbito

•      79% dos óbitos por câncer de pele

•      Incidência vem aumentando nos últimos anos

•      Mais frequente entre a quarta e sexta de década de vida. Mas pode ocorrer em adultos jovens. Um pouco mais frequente em mulheres

•      Similar a um sinal normal da pele – cor escura

Fatores de risco

•      Exposição intermitente à radiação solar – queimaduras solares, principalmente na infância.

•      Fatores Genéticos – Histórico pessoal ou familiar de melanoma

•      Pessoas com muitos nevus (sinais) irregulares, os chamados nevus displásicos ou atípicos

•      Homens (mais comum no tronco). Mulheres (mais comum na perna)

div

Corpo Clínico

Dra. Ana Regina Franchi Trávolo – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da International Association of Aesthetic Medicine; graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP e fellow em Dermatologia e Laser pelo Hospital Ramon Cajal, na Espanha.

Dr. Luciano Ferreira Morgado – Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); membro titular da SBD; membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD; membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia; membro da International Association of Aesthetic Medicine; pós-graduado em Cirurgia Dermatológica, Laser e Dermatologia Estética pela FM-ABC São Paulo; graduado em Medicina pela UnB e mestre em Terapia Fotodinâmica com Nanotecnologia pela Universidade de Brasília.

 

Serviço:

Monte Parnaso – Cuidados à flor da pele

Centro Médico Júlio Adnet, SEPS 709/909, Bloco A, Clínica 9, 1° subsolo.

Contato: (61) 3263-0833 / 3263-0834

www.monteparnaso.com.br

Siga também os perfis nas redes sociais.